Novos negócios surgem a todo instante na internet e o conceito de empreendedorismo digital chegou para ficar. Além da ampla atuação dos e-commerces, o universo virtual tem apresentado novas formas de se fazer negócio, como a venda de infoprodutos e softwares.

Quer finalmente tirar aquela ideia de empreendimento do papel? Talvez a internet seja o lugar perfeito para montá-lo! Continue a leitura para saber como funcionam as empresas virtuais e quais são os principais desafios e vantagens do empreendedorismo on-line.

O que é empreendedorismo digital

Como o próprio nome indica, o empreendedorismo no meio digital consiste na criação de uma empresa que tenha sua estrutura comercial baseada no ambiente on-line. Cabe adiantar que esse negócio pode ser total ou parcialmente virtual.

Um bom exemplo da dinâmica parcial são os e-commerces, que, na maioria dos casos, contam com venda on-line e uma logística de produtos no meio físico. Enquanto isso, há negócios que dependem unicamente da internet, como a venda de cursos de ensino à distância, por exemplo.

Quais são as vantagens do empreendedorismo virtual

Por se tratar de uma modalidade aberta a infinitas possibilidades de negócio, muita gente considera mais fácil montar e administrar um empreendimento digital. Porém, a categoria requer estudos e muito planejamento, assim como acontece com uma empresa física.

De todo modo, existem grandes atrativos nesse tipo de empreendedorismo. Confira as principais vantagens para empreender na internet:

Novos hábitos de consumo

De acordo com estudos da área, o comportamento de consumo atual está cada vez mais atrelado ao ambiente on-line. As pessoas estão mais abertas a comprarem produtos e serviços sem precisar sair de casa, e isso facilita a criação de novos negócios.

Autonomia e flexibilidade

Uma das grandes vantagens das vendas on-line é que elas podem ocorrer a qualquer momento. A presença e a atuação do vendedor não precisam ser necessariamente constantes para que elas aconteçam.

Obviamente, no caso de produtos físicos, existe uma atenção muito maior ao processo de envio e faturamento de mercadorias. Entretanto, mesmo nessa modalidade comercial, as compras podem ser realizadas em qualquer horário.

Baixo custo de investimento

Nem sempre uma estratégia digital para vendas precisa de grandes investimentos iniciais. A maioria das empresas on-line não necessita de um alto número de funcionários ou uma grande estrutura física — comparado com os empreendimentos tradicionais.

Quais são as formas de empreendimento digital

Agora que você já sabe o que é empreendedorismo digital e quais as vantagens desse tipo de negócio, é hora de começar o seu planejamento. Para que isso aconteça, vale a pena conhecer melhor as formas mais comuns de empreendimento virtual:

Infoprodutos

Caso essa seja uma palavra nova para você, o infoproduto é um item feito para ser consumido virtualmente. São produtos como e-books, aplicativos e programas, aulas de ensino à distância, consultorias, etc.

Esse tipo de material ou serviço costuma depender de dois atores principais, um gerador de conteúdo e um vendedor afiliado.

As funções podem ser desempenhadas pelo próprio empreendedor ou por uma equipe especializada. Além disso, existem diferentes plataformas no mercado para disponibilizar os infoprodutos de forma lucrativa.

E-commerces

Os e-commerces fazem parte da chamada revolução digital e são pautados pela autonomia do consumidor em adquirir certos produtos sem a intervenção direta de um vendedor.

De todo modo, a criação de um comércio eletrônico requer toda uma estrutura de site, segurança e usabilidade. Por isso, uma boa dica para empreendedores iniciantes é utilizar plataformas de e-commerce já consolidadas no mercado, elas facilitam o processo de compra e venda e não demandam tanto investimento.

Como montar um empreendimento digital

Colocar um novo negócio na praça é desafiador mesmo no universo on-line. Por isso, se você quer se tornar um empreendedor digital, atente-se a alguns passos importantes:

Escolha um modelo de negócio

Infoproduto ou loja eletrônica? Escolher, entre tantas possibilidades, o modelo de negócio que mais combina com suas ideias de empreendedorismo digital é o primeiro passo.

Para essa tarefa, faça pesquisas de mercado e fique por dentro das tendências na sua área de atuação. Além do mais, lembre-se de que empresas iniciantes com perfil mais enxuto são mais fáceis de serem gerenciadas, o crescimento vem com o tempo.

Formalize seu empreendimento digital

Determinados tipos de empreendimento na internet precisam de formalização técnica, como a criação de CNPJ ou até mesmo o registro em alguma entidade de classe. Portanto, pesquise quais são as regras legais dentro do seu campo de atuação.

Planejamento é fundamental

Ganhar dinheiro pela internet não é simples e demanda muito planejamento. Sendo assim, organize todas as suas estratégias de venda, investimento e manutenção do seu negócio on-line, isso evita riscos desnecessários e aumenta as possibilidades de sucesso do empreendimento.

Com O Financeiro, fica mais fácil cuidar do seu negócio!

O Financeiro ajuda novos empreendedores digitais interessados em conseguir novas oportunidades de investimento. Quer saber mais? Acesse nosso site e acompanhe os conteúdos!

Tornar-se um pequeno empreendedor é uma missão que pode gerar diversos desafios, mas, também, grandes realizações. Portanto, se você tem o sonho de montar seu negócio, talvez, essa seja a hora de dar aquele pontapé inicial.

Para te ajudar nessa jornada, preparamos um guia com dicas de empreendedorismo para pequenos negócios em fase embrionária. Certamente, são sugestões úteis para você finalmente tirar a sua ideia de empresa do papel.

Acompanhe as informações!

Como se tornar um pequeno empreendedor?

Se você pensa em virar o seu próprio chefe, é bom saber que existem diversas formas de alcançar esse objetivo. Atuar como profissional autônomo, por exemplo, é uma prática muito comum no Brasil, mas também há aqueles que optam por criar uma empresa.

De todo modo, é importante seguir alguns passos para que esse novo negócio comece de maneira sustentável e segura. Confira tópicos importantes de como ser um empreendedor.

Planeje a criação do negócio

Um erro muito comum do pequeno empreendedor é não realizar um planejamento durante a fase de criação da própria empresa. Apenas conhecer bem a sua atividade não é garantia de sucesso, portanto, não há como empreender sem planejar cada passo do negócio.

Para isso, procure assessorias especializadas. Os serviços regionais do Sebrae, por exemplo, são bastante recomendados. Além disso, faça pesquisas de mercado, defina seu público-alvo e conheça seus stakeholders (fornecedores, possíveis investidores, etc).

Organize finanças e investimentos

Com o nicho de mercado e perfil de clientes bem alinhados, seu projeto já tem um bom embasamento. No entanto, a falta de cuidado com as finanças pode fazer com que você comece seu negócio já endividado.

Durante o planejamento, lembre-se de fazer um provisionamento do capital necessário para a abertura do empreendimento. O mesmo vale para quando a empresa já estiver funcionando: o ideal é que ela tenha recursos de giro por, no mínimo, um ano.

Cabe pontuar que a administração de empresas recém-criadas requer uma boa margem de investimento. Sendo assim, se precisar de empréstimo, considere pesquisar linhas feitas especialmente para pequenos empreendedores, bem como comparar as faixas de juros.

Monte um plano de negócios

Entre as dicas para empreender, não poderíamos deixar de lado a elaboração de um plano de negócios. Nesse documento, você descreve os resultados de suas pesquisas de mercado e indica quais objetivos quer alcançar com sua empresa.

Trata-se de um recurso essencial para trazer mais segurança e evitar riscos ao empreendimento. Afinal, você consegue projetá-lo antes mesmo de sua empresa entrar no mercado. Confira as principais diretrizes que um bom plano de negócio deve conter:

Legalize-se como pequeno empreendedor

Um dos desafios do empreendedorismo no Brasil é a burocracia para conseguir abrir uma empresa. De todo modo, legalizar seu negócio é a melhor maneira de evitar que problemas futuros surjam e atrapalhem a organização de orçamentos e até mesmo contratações.

Lembrando que cada modalidade de empreendimento possui regras próprias, do pequeno empreendedor às micro, médias e pequenas empresas. A sugestão é buscar ajuda especializada, mantendo o pagamento de taxas e impostos sempre em dia.

Aumente as oportunidades do seu negócio com O Financeiro

Agora que você já conhece as melhores práticas para se tornar um pequeno empreendedor, saiba que O Financeiro pode te ajudar. Com a gente, você recebe ofertas personalizadas para conseguir uma boa linha de crédito, aumentar o seu capital e outras oportunidades. Acesse e fique por dentro!

Toda empresa necessita de um planejamento financeiro para suas operações do dia a dia. Para isso, é importante que o empreendedor tenha acesso a uma ferramenta básica de organização de recursos, o chamado fluxo de caixa.

Neste artigo, você fica por dentro de detalhes essenciais da gestão de fluxo de caixa. Com nossas dicas, fica mais fácil manter as finanças do seu negócio sempre em dia e garantir a segurança que toda empresa precisa. Acompanhe!

O que é fluxo de caixa?

Mesmo sendo uma ferramenta essencial, muitos empresários não sabem de fato o que é fluxo de caixa. No entanto, seu entendimento é bem simples. O objetivo desse recurso financeiro é apurar e projetar todo o saldo disponível na empresa. Dessa forma, é possível contar sempre com um capital de giro, que serve para aplicações ou gastos eventuais.

No fluxo de caixa, o empreendedor faz um levantamento de dados financeiros do negócio durante um determinado período. A divisão desses dados pode ser diária, semanal ou mensal. Podemos definir esse processo em cinco partes básicas:

  1. Saldo inicial: trata-se do dinheiro disponível no caixa e nas contas bancárias;
  2. Entradas: são as vendas à vista e outros recebimentos da empresa;
  3. Saídas: é o levantamento de todos os pagamentos realizados;
  4. Saldo operacional: é o resultado das entradas menos as saídas de caixa,
  5. Saldo final: consiste na soma do dinheiro inicial com o saldo operacional.

Cabe destacar que o controle de caixa pode ser elaborado manualmente, em agenda ou caderno. Entretanto, essa tarefa fica muito mais fácil se for automatizada, por isso, o uso de uma planilha eletrônica ou de programas de gestão vêm bem a calhar.

Qual é a importância de fazer o fluxo de caixa?

Esse tipo de controle financeiro ajuda o empreendedor a observar as movimentações financeiras ao longo do tempo. Assim, você tem uma visão do presente e do futuro da saúde financeira do negócio e pode tomar decisões mais assertivas com seu dinheiro.

Além do mais, com esse balanço, dá para prever medidas necessárias em possíveis dificuldades financeiras que a empresa pode enfrentar. Inclusive, é possível evitar ou minimizar esses problemas.

Quais são os resultados desse tipo de controle financeiro?

A elaboração de um fluxo de caixa projetado depende da natureza de cada negócio, bem como das necessidades do empreendedor. De todo modo, na maioria das vezes, os resultados facilitam algumas decisões importantes, como:

Entre os principais resultados do fluxo de caixa estão o saldo disponível. Ele é computado pela diferença entre o lucro operacional e os pagamentos realizados pela empresa em uma determinada data ou período.

O ideal é que o saldo final do fechamento desse balanço corresponda ao valor disponível no caixa ou depositado em conta corrente. Além disso, vale pontuar que o saldo de caixa não representa, necessariamente, lucro ou prejuízo. Portanto, especialistas recomendam a confirmação do resultado final a cada dia.

O Financeiro te ajuda a impulsionar seu negócio

Manter a estabilidade financeira de uma empresa nem sempre é uma tarefa simples, por isso contar com soluções como o fluxo de caixa faz toda a diferença. Agora, você já sabe como organizar o saldo do seu negócio e tomar atitudes mais seguras para o crescimento dele.

Aproveite e fique por dentro de mais recursos para sua empresa com O Financeiro. Nossa equipe especializada conecta você as oportunidades únicas no mercado. Conheça o serviço, aqui, no site, e faça seu cadastro!

Precisando de dinheiro extra rapidamente? Entenda quais são os principais tipos de empréstimo e contrate aquele que melhor se adeque ao seu perfil

Diversas podem ser as razões que levam alguém a pedir um empréstimo on-line. Desde imprevistos, emergências e desemprego até viagens, educação ou criação do negócio, existem várias opções de crédito, por isso é natural que haja dúvidas.

Se você está em alguma dessas situações ou deseja entender um pouco mais sobre como funcionam as diferentes modalidades de empréstimo pessoal on-line, veja essa lista com as principais linhas de crédito oferecidas no mercado e as vantagens de cada uma delas!

Empréstimo pessoal

O crédito pessoal é a modalidade mais comum de empréstimo. Nela, o cliente solicita um determinado valor à instituição financeira, que fará uma análise do perfil de crédito do consumidor para definir se irá aprová-lo ou não e quais as condições de parcelamentos, taxas de juros e demais serviços da operação.

No processo de análise, podem ser solicitados documentos de identificação, comprovação de renda e residência, mas isso varia de banco para banco. Caso aprovado, o dinheiro costuma cair na conta em poucos dias.

A vantagem do empréstimo pessoal on-line é que ele costuma ser menos burocrático e mais rápido, principalmente, quando comparado a outras modalidades, como o consignado ou o refinanciamento. Além disso, diferente dos financiamentos, você não precisa justificar o fim para o qual precisa do dinheiro.

Empréstimo consignado

Também conhecido como empréstimo com desconto em folha, no consignado, as parcelas são descontadas diretamente da folha de pagamento. Por isso, essa é uma ótima opção para aposentados e pensionistas do INSS, funcionários públicos e trabalhadores assalariados.

A vantagem dessa modalidade de empréstimo são as taxas de juros que, devido a maior garantia de pagamento, costumam ser mais baixas. Outro fator é a segurança e a facilidade para você, que não correrá o risco de ficar devendo para o credor e criar uma dívida ainda maior.

Quando for contratar o empréstimo consignado, um ponto importante a se atentar é a margem consignável, que corresponde ao valor disponível para empréstimo — e que costuma corresponder a, no máximo, 35% do valor do salário ou do benefício.

Empréstimo com garantia de veículo ou imóvel

Essa modalidade de empréstimo também é conhecida pelo nome de refinanciamento. Nessa categoria, você pode colocar a sua casa ou o seu imóvel como garantia de que irá quitar o empréstimo. Dessa forma, além dos dados pessoais e do perfil de crédito do cliente, são levados em consideração as informações e o valor do imóvel colocado em garantia.

Uma das consequências disso é que, geralmente, as taxas de juros desse tipo são menores, começando por 0,89% ao mês, pois, o risco de inadimplência é mais baixo que em um empréstimo pessoal sem colateral. É preciso lembrar que, caso as parcelas do empréstimo não sejam devidamente pagas, a instituição financeira poderá utilizar o seu bem para quitar o valor restante.

Empréstimo negativado

Se você está com o “nome sujo”, provavelmente, terá maiores dificuldades para conseguir contratar um empréstimo. No entanto, já existem instituições especializadas em atender usuários com restrição no nome, como bancos, financeiras e fintechs.

Isso quer dizer que é mais difícil conseguir crédito sendo negativado, porém, é possível. Entretanto, lembre-se de comparar as opções de empréstimo e verificar qual é a melhor para o seu bolso. Além disso, será mais fácil conseguir ofertas depois de limpar o seu nome, o que pode ser feito por meio da renegociação da dívida.

Cuidados necessários ao contratar empréstimo

O primeiro passo ao considerar qualquer empréstimo é uma análise do seu orçamento e um planejamento financeiro, para se certificar de que esta é a melhor opção e de que você poderá arcar com as parcelas.

Além da taxa de juros e do valor das parcelas, considere o Custo Efetivo Total (CET) do empréstimo. Ele é a soma de todas as taxas cobradas na tomada do crédito, que podem variar de instituição. As mais comuns são taxas de abertura de conta, taxa de juros, impostos e seguros cobrados no contrato.

Golpe do empréstimo

Por falar em taxas cobradas em empréstimo, é importante frisar que nenhum desses valores devem ser cobrados antes da liberação do dinheiro na conta. Essa é a forma mais comum, hoje, de golpe de empréstimo, sendo considerada uma prática ilegal.

Dito isto, é importante lembrar alguns cuidados ao contratar empréstimo on-line:

Conte com a gente para ter informações de como lidar com as suas finanças e evitar problemas futuros. Ficou com alguma dúvida sobre as opções de empréstimo on-line? Deixe nos comentários!